Pular para o conteúdo principal

Prosseguindo para o alvo


Recentemente em uma de minhas publicações que tratava de alguns aspectos da Misericórdia e da Graça de Deus, por meio de Jesus Cristo, recebi um comentário que dizia assim: “Embora muito dificilmente seja adequado falar de Jesus como alguém que se tenha sacrificado, como o resgatador ou redentor, é totalmente correto referir-se a ele como um salvador. Para sempre ele deixou o caminho da salvação (da sobrevivência) mais claro e certo; ele mostrou, de um modo melhor e mais correto, o caminho da salvação a todos os mortais de todos os mundos deste universo.” Confesso que não me dei ao trabalho de comentar, mas  a forma e o teor das palavras me arremeteram ao meu passado, quando então estudava questões associadas a paranormalidade e ao ocultismo, e mais precisamente me lembrou da “Antiga e Mística Ordem Rosa Cruz (AMORC).” Você conhece? Já ouviu falar? Trata-se de uma fraternidade, uma organização internacional de caráter místico-filosófico que alega ter a missão de despertar o potencial interior do ser humano, auxiliando-o em seu desenvolvimento, em espírito de fraternidade, respeitando a liberdade individual. Pois bem, a tal ORDEM ROSA CRUZ , acredita e propaga a ideia de que o homem, e não Jesus, expia a humanidade. Ou seja, admitem que a doutrina da expiação é misticamente verdadeira, mas somente no sentido de que o próprio homem, alcançando o estado de “Consciência Cósmica”, pode expiar seu estado pecaminoso. Não bastasse esse pensamento equívoco, ainda é comum encontrar em suas fileiras os intérpretes misticos da bíblia que se perdem em devaneios evolucionistas e reencarnacionistas que de um modo ou de outro negam a inspiração divina da bíblia, e o fato de que ela é a palavra de Deus, e de igual modo negam a divindade de Jesus, bem como negam o seu sacrifício como preço de sangue pago pela salvação dos que Nele creem. Na verdade há MUITO mais coisas e pormenores que não pretendo sequer mencionar, pois senão vai parecer propaganda inversa. E se, já perdi meu tempo no passado em busca da perfeição, hoje “não penso que eu mesmo já a tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.” (Filipenses 3:13,14)

Quanto a mim, cristão evangélico, lavado e remido no sangue do cordeiro, creio e vivo pela palavra de Deus (a Bíblia) dada aos homens. Cujo tema central é a pessoa de Jesus, meu Senhor e Salvador, que pela ação do Espírito Santo tem se revelado a mim e a todos que O receberam como salvador. Nenhum homem pode remir outro homem, pois todos pecamos. (Jó 14:4; Romanos 5:12) O Salmo 49:7 diz: “Ao irmão, verdadeiramente, ninguém o pode remir, nem pagar por ele a Deus o seu resgate.” A Bíblia afirma que foi o sacrifício de Jesus que nos salvou, não um estado de consciência cósmica. A Bíblia nos ensina: “Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.” (2 Coríntios 5:14, 15). Jesus disse: “A tua palavra é a verdade”. (João 17:17) Por fim, creio que a Bíblia toda é a palavra de Deus, fruto da  inspiração divina. Para mim negar as verdades bíblicas é sinônimo de não ser cristão. (Gênesis 3:1-5; João 8:44). Outrossim, desde o dia em que fui resgatado pelo amor de Cristo, e aceitei seu sacrifício na cruz do calvário, não deixei, nem deixarei jamais de exaltá-lo e promulgá-lo a humanidade. Porém, lamento, sinceramente, aos que O negam, pois assim nos disse Jesus:

Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. 
(Mateus 10:33)


Postagens mais visitadas deste blog

Papo de Crente: “Morar junto”, sem se casar, é pecado?

Bem, para responder a esta pergunta, de cara gostaria de dizer que não sou muito de ficar apontando para isso ou para aquilo e dizendo se é pecado, ou não. Afinal, pecado significa errar o alvo, que por sua vez representa a pessoa de JESUS CRISTO. Logo, tudo que fazemos que nos afasta dEle é pecado. Certo? Mas, a pergunta acima tem sido recorrente entre vários jovens e por isso optei por este texto. Vamos entender uma coisa, “morar junto” não é o mesmo que estar casado, assim como “ficar” não é namorar e namorar anos sem compromisso não é “noivar”.  Outra coisa é que esse papo de “morar junto” nada mais é do que um jeitinho de se ter relações sexuais, dentro do socialmente correto. Que fique claro que seguir a Cristo é uma coisa simples, mas que sempre envolve decisões difíceis. Entenda isso como a “porta estreita” da qual Jesus nos alertou. Sexo antes do casamento é FORNICAÇÃO! Não entendeu? Eu explico: “Fornicação é o ato ou efeito de fornicar. Ter relações sexuais por puro prazer, p…

A CABANA e os FALSOS MESTRES

Enquanto escrevo estas linhas milhares de pessoas estão lotando salas de cinema em vários países e até mesmo no Brasil, para assistirem o Filme: A Cabana.  Dirigido por Stuart Hazeldine e adaptado do livro homônimo de 2007, escrito por William Paul Young, canadense, filho de missionários cristãos, teólogo formado em Religião no estado do Oregon, nos Estados Unidos. E, para mim, um dos FALSOS MESTRES de nosso tempo.    Pois bem, este texto, assim como habitualmente o faço é fruto de uma conversa com um amigo que assistiu o referido filme, gostou, o recomendou a outros e me disse que soube reter o que era bom e descartar o que não valia a pena. Acredito e glorifico a Deus por tê-lo capacitado a ter esse nível de discernimento, contudo tenho o coração aflito, tanto pelo zelo que tenho a palavra de Deus, quanto pelas vidas que podem vir a se perder diante do engodo de uma estória emocionante.    Segundo a sinopse oficial do filme a trama apresenta "um homem atormentado após perder a su…

Mães de joelho, filhos de pé

Desperta Débora
“Orando por nossos filhos”.
“Desperta Débora é um movimento de oração cujo alvo é despertar mães comprometidas a orar 15 minutos por dia, para que Deus opere um despertamento espiritual sem precedentes na história da juventude brasileira”.

O Desperta, Débora nasceu no coração do reverendo Jeremias Pereira durante a Consulta Global sobre Evangelização Mundial (GCOWE 95), promovido em maio daquele ano em Seul, Coréia. Nesse encontro, a Igreja coreana consagrou cem mil jovens de diversas denominações para a obra missionária. “Era um dia chuvoso e frio, e num daqueles momentos de clamor uma jovem perto de mim estava com a testa no chão. Em oração, ela se oferecia como mártir para que ao menos uma pessoa da Coréia do Norte entregasse sua vida a Cristo. Ao ouvir aquilo chorei como um menino e desejei que algo semelhante acontecesse no Brasil”, lembra Pereira, pastor da Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte.
Ainda em Seul, ele procurou o pastor Marcelo Gualberto e juntos …