Pular para o conteúdo principal

Pai, Filho e Espírito Santo...Um Único Deus!


Edifiquem-se, porém, amados, na santíssima fé que vocês têm, orando no Espírito Santo. Mantenham-se no amor de Deus, enquanto esperam que a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo os leve para a vida eterna.
(Judas 1:20,21)
        
Embora a palavra Trindade ou TRIUNIDADE não apareça na Bíblia, esta claro que DEUS é UM e que se manifesta por três “pessoas”.  É fundamental compreendermos esta particularidade para podermos lidar com quem é Deus, como Ele é, como Ele atua, e como Ele Se relaciona com o mundo. Acima de tudo, é essencial aceitarmos a divindade de Cristo e do espírito Santo e seu papeis no plano da salvação.

As distinções entre Deus Pai, Jesus e o Espírito Santo encontradas na Bíblia devem ser percebidas como a forma pela qual Deus está em Si mesmo, por mais difícil que seja para nossa mente entender.


Cremos e ensinamos que Deus é UM em essência, subsistindo por si mesmo, plenamente suficiente, invisível, incomensurável, eterno, criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis, o supremo-bem, vivo, vivificador e preservador de todas as coisas, onipotente e supremamente sábio, misericordioso, justo e verdadeiro. Nós adoramos a UM só Deus e abominamos a pluralidade de deuses. “O Senhor nosso Deus é o único Senhor” (Deuteronômio 6.4). “Eu sou o Senhor teu Deus. Não terás outros deuses diante de mim” (Êxodo 20.2-3). “Eu sou o Senhor, e não há outro; além de mim não há Deus. Deus justo e Salvador não há além de mim” (Isaías 45.5.21). “Senhor, Senhor Deus compassivo, clemente e longânimo, e grande em misericórdia e fidelidade” (Êxodo 34.6).

Sabemos que a própria Bíblia se interpreta, e diz claramente que Deus é um Deus Triuno, quando afirma que são três que dão testemunho no céu, e estes três são “UM” (1 João 5:7). Se a Bíblia ensina que Deus é UM em TRÊS, e declara que estes TRÊS são UM, isto tem que ser assim, por mais incompreensível e contraditório que nos pareça.
  
O Novo Testamento não expõe as pessoas da Trindade apenas de forma isolada. Ele os une em várias afirmações fortes e gloriosas em que o Pai, o Filho e o Espírito são apresentados em pé de igualdade, mas com distinção (Mt 28.19; Mt 3.16-17; Jo 14.26; 2Co 13.14).
A Bíblia diz que os três possuem a mesma virtude, exercem os mesmos poderes e são igualmente divinos e eternos. “Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?”
 (Hebreus 9:14).

Também diz que Deus-Pai não veio morrer na cruz do calvário, mas que enviou Jesus, seu Filho, o qual a Bíblia declara ser Ele também Deus (1 Timóteo 3:13-16).  Por outro lado, Jesus declarou que nada do que diz, tem ou faz, é de si mesmo, mas sim de Deus-Pai que lhe enviou (João 5:19-23,30). Este Filho também declarou que tudo o que tem o Pai é d´Ele, e, ao mesmo tempo, ensinou que Ele não é o Pai (João 14:8-10; João 16:15).

Também esta na palavra que não é o Pai nem Filho, que convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo, mas sim o Espírito Santo (João 16:8). O próprio filho se encarrega de confirmar Sua identidade com o Espírito Santo, ao dizer: “Um pouco, e não mais me vereis; outra vez um pouco, e ver-me-eis" (João 16:16 João 14:28).

Não seriam afirmações absurdas, se Deus fosse uma única pessoa e não Triuno?  Se não existisse triunidade, como poderíamos compreender este mistério de Deus, ser chamado Pai e ao mesmo tempo Filho ou de Espírito Santo? A Bíblia não só nos ensina tudo isto, como também declara que a estas três pessoas devemos render culto, adorar e dar toda a glória (Atos dos Apóstolos 5:3; João 5:19-23).

Cientes de tais coisas, cremos e ensinamos que não há três deuses, mas três pessoas, consubstanciais, co-eternas e co-iguais, sem qualquer desigualdade. Segundo a natureza ou essência, acham-se tão unidas que são Um Deus, e a essência divina é comum ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.



Postagens mais visitadas deste blog

Papo de Crente: “Morar junto”, sem se casar, é pecado?

Bem, para responder a esta pergunta, de cara gostaria de dizer que não sou muito de ficar apontando para isso ou para aquilo e dizendo se é pecado, ou não. Afinal, pecado significa errar o alvo, que por sua vez representa a pessoa de JESUS CRISTO. Logo, tudo que fazemos que nos afasta dEle é pecado. Certo? Mas, a pergunta acima tem sido recorrente entre vários jovens e por isso optei por este texto. Vamos entender uma coisa, “morar junto” não é o mesmo que estar casado, assim como “ficar” não é namorar e namorar anos sem compromisso não é “noivar”.  Outra coisa é que esse papo de “morar junto” nada mais é do que um jeitinho de se ter relações sexuais, dentro do socialmente correto. Que fique claro que seguir a Cristo é uma coisa simples, mas que sempre envolve decisões difíceis. Entenda isso como a “porta estreita” da qual Jesus nos alertou. Sexo antes do casamento é FORNICAÇÃO! Não entendeu? Eu explico: “Fornicação é o ato ou efeito de fornicar. Ter relações sexuais por puro prazer, p…

A VERDADE sobre o RENOVO DA ÁGUIA

Há uma ILUSTRAÇÃO muito conhecida, principalmente no meio evangélico, que afirma que a águia, depois de uma certa idade, se isola no alto de uma montanha e lá, após arrancar todas as suas penas e quebrar seu bico, ela rejuvenesce e ressurge com mais força!

    Pois é, de tempos em tempos vejo esse texto nas redes sociais, em sermões, ou mesmo em palestras motivacionais que nos ensinam que devemos fazer como as águias que, depois viver 40 anos, se recolhem na solidão, mas depois renascem revigoradas e prontas para mais uma etapa da vida.     O fato é que apesar de ser uma ÓTIMA ilustração, NÃO É verdade. Ou seja, não deve ser absorvida como um fato cientifico, mas sim como um ensino poético, filosófico.     A fim, não de frustrar ou decepcionar ninguém, mas no intuito de trazer informações e a verdade é que narro a seguir alguns dos fatos que devem ser considerados.
Quantos anos vive uma águia? Uma águia, independente de sua espécie, vive cerca de 30 anos, em média.
As águias arrancam …

Mães de joelho, filhos de pé

Desperta Débora
“Orando por nossos filhos”.
“Desperta Débora é um movimento de oração cujo alvo é despertar mães comprometidas a orar 15 minutos por dia, para que Deus opere um despertamento espiritual sem precedentes na história da juventude brasileira”.

O Desperta, Débora nasceu no coração do reverendo Jeremias Pereira durante a Consulta Global sobre Evangelização Mundial (GCOWE 95), promovido em maio daquele ano em Seul, Coréia. Nesse encontro, a Igreja coreana consagrou cem mil jovens de diversas denominações para a obra missionária. “Era um dia chuvoso e frio, e num daqueles momentos de clamor uma jovem perto de mim estava com a testa no chão. Em oração, ela se oferecia como mártir para que ao menos uma pessoa da Coréia do Norte entregasse sua vida a Cristo. Ao ouvir aquilo chorei como um menino e desejei que algo semelhante acontecesse no Brasil”, lembra Pereira, pastor da Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte.
Ainda em Seul, ele procurou o pastor Marcelo Gualberto e juntos …