Pular para o conteúdo principal

A VIOLÊNCIA NOSSA DE CADA DIA


Hoje em dia já não é novidade ligarmos a TV ou o Rádio, ou ainda ao abrirmos os jornais diários e sermos bombardeados por uma avalanche de notícias de morte e violência e infelizmente nos acostumamos com isso. Mas quando aquelas coisas terríveis de que ouvimos falar e que ficávamos sabendo já nos alcançam aqui em nosso esconderijo, aí sim começamos a nos preocupar. Agora quando andamos por nossa Pequena Cidade, já ouvimos histórias de assalto, assassinato, corrupção policial e vemos jovens e crianças largadas pelas ruas, ora perdidas na vagabundagem, ora envolvidas na prostituição, ou ainda sendo arrebanhados por gangues de delinqüentes juvenis. Então ouvimos o Povo exigir mais policiais nas ruas, melhores políticas públicas e um empenho maior de nossos governantes nestas causas sociais. E apesar de admitir que tudo isso é necessário e que de algum modo podem minimizar um pouco os problemas e senão, até mesmo extinguir alguns destes sintomas. Ainda assim um versículo bíblico não me sai da cabeça: "Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela." (Sl 127.1) Amados amigos e irmãos penso que a solução da violência não esta necessariamente nas ruas ou na repressão policial, mas esta sim em DEUS e em nossos lares, em nossas famílias. Sim, em nossas casas! Afinal muitos destes marginais vêm de famílias cristãs e ao menos já ouviram falar de que existe um DEUS e não é difícil encontrar entre eles aqueles que sequer tocam nos servos do Senhor, porém são pessoas que não se vêem aceitas em uma igreja ou mesmo em seus lares de origem. Quero dizer com isso que muitos de nós, conhecedores da palavra de Deus estamos esquecendo o AMOR. Não estamos cumprindo o segundo mandamento que diz que devemos "amar o próximo como a nós mesmos" (Mc 12.33b) e também estamos ignorando um dos principais ensinamentos da Bíblia que é a importância de nosso testemunho, a forma como nos portamos, não somente nas igrejas e nos ambientes cristãos, mas no mundo e principalmente em nossos lares. A Família é plano de Deus e é bem precioso! A Bíblia diz: "Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele." (Pv 22.6). E isso não quer dizer obrigar as crianças a irem a igreja, ou coisa parecida, mas sim em lhes apresentar a DEUS, primeiro por nosso testemunho digno, seja como marido ou esposa, pai ou mãe. Depois ensiná-los a temer, confiar e se alegrar no Senhor. Também é ser firme e repreender quando praticar o que é errado. Mas isso sem ódio ou fúria, e sempre com amor. Espero que você que esta lendo esta coluna, não me leve à mal. Também sou pai, tenho dois filhos e vivo numa cidade como a sua. Partilho de muitos dos seus problemas e provavelmente de muitas das suas esperanças. E o ponto de vista que defendo aqui é o de precisamos de melhores políticas sociais e de um policiamento mais eficaz, mas desejo não só combater o sintoma quero acabar com a doença. E só JESUS, na sua infinita misericórdia pode nos ajudar. Amado, quebrante seu coração e persevere na presença de DEUS. Jesus te ama e eu também. Paz a todos!

Postagens mais visitadas deste blog

Papo de Crente: “Morar junto”, sem se casar, é pecado?

Bem, para responder a esta pergunta, de cara gostaria de dizer que não sou muito de ficar apontando para isso ou para aquilo e dizendo se é pecado, ou não. Afinal, pecado significa errar o alvo, que por sua vez representa a pessoa de JESUS CRISTO. Logo, tudo que fazemos que nos afasta dEle é pecado. Certo? Mas, a pergunta acima tem sido recorrente entre vários jovens e por isso optei por este texto. Vamos entender uma coisa, “morar junto” não é o mesmo que estar casado, assim como “ficar” não é namorar e namorar anos sem compromisso não é “noivar”.  Outra coisa é que esse papo de “morar junto” nada mais é do que um jeitinho de se ter relações sexuais, dentro do socialmente correto. Que fique claro que seguir a Cristo é uma coisa simples, mas que sempre envolve decisões difíceis. Entenda isso como a “porta estreita” da qual Jesus nos alertou. Sexo antes do casamento é FORNICAÇÃO! Não entendeu? Eu explico: “Fornicação é o ato ou efeito de fornicar. Ter relações sexuais por puro prazer, p…

A CABANA e os FALSOS MESTRES

Enquanto escrevo estas linhas milhares de pessoas estão lotando salas de cinema em vários países e até mesmo no Brasil, para assistirem o Filme: A Cabana.  Dirigido por Stuart Hazeldine e adaptado do livro homônimo de 2007, escrito por William Paul Young, canadense, filho de missionários cristãos, teólogo formado em Religião no estado do Oregon, nos Estados Unidos. E, para mim, um dos FALSOS MESTRES de nosso tempo.    Pois bem, este texto, assim como habitualmente o faço é fruto de uma conversa com um amigo que assistiu o referido filme, gostou, o recomendou a outros e me disse que soube reter o que era bom e descartar o que não valia a pena. Acredito e glorifico a Deus por tê-lo capacitado a ter esse nível de discernimento, contudo tenho o coração aflito, tanto pelo zelo que tenho a palavra de Deus, quanto pelas vidas que podem vir a se perder diante do engodo de uma estória emocionante.    Segundo a sinopse oficial do filme a trama apresenta "um homem atormentado após perder a su…

Mães de joelho, filhos de pé

Desperta Débora
“Orando por nossos filhos”.
“Desperta Débora é um movimento de oração cujo alvo é despertar mães comprometidas a orar 15 minutos por dia, para que Deus opere um despertamento espiritual sem precedentes na história da juventude brasileira”.

O Desperta, Débora nasceu no coração do reverendo Jeremias Pereira durante a Consulta Global sobre Evangelização Mundial (GCOWE 95), promovido em maio daquele ano em Seul, Coréia. Nesse encontro, a Igreja coreana consagrou cem mil jovens de diversas denominações para a obra missionária. “Era um dia chuvoso e frio, e num daqueles momentos de clamor uma jovem perto de mim estava com a testa no chão. Em oração, ela se oferecia como mártir para que ao menos uma pessoa da Coréia do Norte entregasse sua vida a Cristo. Ao ouvir aquilo chorei como um menino e desejei que algo semelhante acontecesse no Brasil”, lembra Pereira, pastor da Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte.
Ainda em Seul, ele procurou o pastor Marcelo Gualberto e juntos …