Pular para o conteúdo principal

O Valor de uma boa ação


A história de Bryan



Já estava quase anoitecendo, seu corpo todo doía depois de um longo e cansativo dia de trabalho na oficina. Por pouco ele quase não viu a senhora com o carro parado no acostamento, mas percebeu que ela precisava de ajuda. Assim, parou o seu carro e se aproximou.
O Inverno já se aproximava e o vento gelado chegava a machucar a pele.
Mesmo com o sorriso que ele estampava na face, percebeu que a senhora ficou preocupada.


Já estava ali a quase uma hora e ninguém tinha parado para ajudar. Será que este rapaz pretendia aprontar alguma coisa? - Pensava a mulher

Ele não parecia uma pessoa distinta; parecia pobre e faminto.

Imaginando os pensamentos daquela, percebeu que ela estava com muito medo e disse:

“- Eu estou aqui para ajudar madame. Por que a senhora não espera no carro, onde está quentinho? A propósito, meu nome é Bryan !"

Bem, todo o probçlema era tão somente um pneu furado, mas, para uma senhora, era ruim o bastante.
Bryan abaixou-se, colocou o macaco e levantou o carro. Aquilo para ele não era nada demais. Logo já estava trocando o pneu. Ficou um pouco mais sujo e ainda feriu uma das mãos. Mas, tudo bem!
Enquanto ele apertava as porcas da roda ela abriu a janela e já mais tranquila começou a conversar com ele. Contou que era de uma cidade distante e que só estava de passagem por ali. Disse que não sabia como agradecer pela preciosa ajuda. E perguntou quanto pagaria pelo serviço
(qualquer quantia teria sido muito pouco para ela). Já tinha imaginado todas as terríveis coisas que poderiam ter acontecido se Bryan não tivesse parado.


O Jovem apenas sorriu, enquanto se levantava.
Bryan não pensava em dinheiro. Aquilo não dava para se considerar um trabalho. Gostava de ajudar quando podia. Este era seu modo de viver e nunca lhe ocorreu agir de outro modo. Provavelmente sua esposa o mataria se o visse recusando dinheiro, mas ele respondeu:
“- Se realmente quiser me reembolsar, da próxima vez que encontrar alguém que precise de ajuda, dê para aquela pessoa a ajuda de que ela precisa”. E acrescentou: “... e pense em mim”. Ele esperou até que ela saísse com o carro e também se foi.
Tinha sido um dia dificil e até aqui um pouco deprimido, mas agora ele se sentia bem, indo para casa, desaparecendo no crepúsculo.

Alguns quilometros depois já debaixo de chuva, a senhora encontrou um pequeno restaurante. Ela entrou para comer alguma coisa. Era um lugar modesto, um tanto sujo. A cena inteira era estranha para ela. Porém, uma jovem garçonete, ao vê-la entrar veio até ela e trouxe-lhe uma toalha limpa para que pudesse esfregar e secar o cabelo molhado e lhe dirigiu um doce sorriso. Um sorriso que, mesmo depois de um dia inteiro de trabalho com os pés doendo, não pode apagar.
A senhora notou que a jovem estava com quase oito meses de gravidez, mas ela não deixava a tensão e as dores mudarem sua atitude.
Curiosa em saber como alguém que tinha tão pouco na vida podia tratar tão bem a um estranho. Imediatamente se lembrou do jovem Bryan que tão prestativamente a socorrera na estrada.
Então, depois que terminou a refeição, enquanto a garçonete buscava troco para a nota de cem dólares, a senhora se retirou. Já tinha partido, quando a garçonete voltou. A garçonete ainda queria saber onde a senhora poderia ter ido quando notou algo escrito no guardanapo, sob o qual tinha mais 4 notas de cem dólares.
Havia lágrimas em seus olhos quando leu o que a senhora havia escrito.
Dizia: “Alguém me ajudou uma vez e da mesma forma eu espero estar te ajudando. Se você realmente quiser me reembolsar, não deixe este círculo de amor terminar em você”.
Bem. Havia mesas para limpar, açucareiros para encher e pessoas para servir.


Quando finalmente foi para casa e deitou-se na cama, ficou pensando no dinheiro e no que a senhora deixara escrito.
Pensava: Como Deus é maravilhoso e como podia aquela senhora saber o quanto ela e o marido precisavam disto?
Com o bebê para o próximo mês, tudo estava muito difícil. Antes de dormir ela virou-se para o cansado marido que dormia ao seu lado, deu-lhe um beijo macio e sussurrou:
“- Tudo ficará bem, meu amor. Jesus nos ama e eu também te amo Bryan”.

Pense nisso, e não feche esse círculo de amor.

Autor: Desconhecido

Postagens mais visitadas deste blog

Papo de Crente: “Morar junto”, sem se casar, é pecado?

Bem, para responder a esta pergunta, de cara gostaria de dizer que não sou muito de ficar apontando para isso ou para aquilo e dizendo se é pecado, ou não. Afinal, pecado significa errar o alvo, que por sua vez representa a pessoa de JESUS CRISTO. Logo, tudo que fazemos que nos afasta dEle é pecado. Certo? Mas, a pergunta acima tem sido recorrente entre vários jovens e por isso optei por este texto. Vamos entender uma coisa, “morar junto” não é o mesmo que estar casado, assim como “ficar” não é namorar e namorar anos sem compromisso não é “noivar”.  Outra coisa é que esse papo de “morar junto” nada mais é do que um jeitinho de se ter relações sexuais, dentro do socialmente correto. Que fique claro que seguir a Cristo é uma coisa simples, mas que sempre envolve decisões difíceis. Entenda isso como a “porta estreita” da qual Jesus nos alertou. Sexo antes do casamento é FORNICAÇÃO! Não entendeu? Eu explico: “Fornicação é o ato ou efeito de fornicar. Ter relações sexuais por puro prazer, p…

A CABANA e os FALSOS MESTRES

Enquanto escrevo estas linhas milhares de pessoas estão lotando salas de cinema em vários países e até mesmo no Brasil, para assistirem o Filme: A Cabana.  Dirigido por Stuart Hazeldine e adaptado do livro homônimo de 2007, escrito por William Paul Young, canadense, filho de missionários cristãos, teólogo formado em Religião no estado do Oregon, nos Estados Unidos. E, para mim, um dos FALSOS MESTRES de nosso tempo.    Pois bem, este texto, assim como habitualmente o faço é fruto de uma conversa com um amigo que assistiu o referido filme, gostou, o recomendou a outros e me disse que soube reter o que era bom e descartar o que não valia a pena. Acredito e glorifico a Deus por tê-lo capacitado a ter esse nível de discernimento, contudo tenho o coração aflito, tanto pelo zelo que tenho a palavra de Deus, quanto pelas vidas que podem vir a se perder diante do engodo de uma estória emocionante.    Segundo a sinopse oficial do filme a trama apresenta "um homem atormentado após perder a su…

Mães de joelho, filhos de pé

Desperta Débora
“Orando por nossos filhos”.
“Desperta Débora é um movimento de oração cujo alvo é despertar mães comprometidas a orar 15 minutos por dia, para que Deus opere um despertamento espiritual sem precedentes na história da juventude brasileira”.

O Desperta, Débora nasceu no coração do reverendo Jeremias Pereira durante a Consulta Global sobre Evangelização Mundial (GCOWE 95), promovido em maio daquele ano em Seul, Coréia. Nesse encontro, a Igreja coreana consagrou cem mil jovens de diversas denominações para a obra missionária. “Era um dia chuvoso e frio, e num daqueles momentos de clamor uma jovem perto de mim estava com a testa no chão. Em oração, ela se oferecia como mártir para que ao menos uma pessoa da Coréia do Norte entregasse sua vida a Cristo. Ao ouvir aquilo chorei como um menino e desejei que algo semelhante acontecesse no Brasil”, lembra Pereira, pastor da Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte.
Ainda em Seul, ele procurou o pastor Marcelo Gualberto e juntos …