Pular para o conteúdo principal

Gratidão Missionária


No culto de despedida do Maranhão, local em que estive em viagem missionária, o pastor pregou em cima do versículo 15, de Romanos 10, que diz o seguinte:

E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito:
Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas!

Foi uma linda mensagem e expressava a gratidão dos irmãos pelo trabalho que o Senhor operara na instrumentalidade de nossas vidas. Foi algo emocionante, pois por mais saibamos que de nós nada temos, é maravilhoso ter feito parte do projeto de Deus em resgatar vidas naquele lugar. Mas, naquele momento nasceu em meu coração um transbordante sentimento de gratidão. Primeiramente, grato a Deus. Depois me senti a pessoa mais felizarda do mundo em poder estar ali, por ter podido participar de todos os trabalhos, de ter tido a chance de falar do amor de Deus para tantas pessoas, por ter conhecido irmãos tão bacanas como os que conhecemos, enfim...grato por TUDO! Só que este sentimento não parou por aí, e a parte do versículo que dizia que: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas!” não saia da minha cabeça. E o Espírito do Senhor ministrou em minha alma dizendo que não eram tão somente aos pés de nosso corpo físico que aquela passagem se referia, mas por analogia, uma vez que os pés representam algo que nos conduz a algum lugar, percebi que a formosura, ou seja a beleza estava naquilo que nos permitiu chegar aquele lugar tão carente da palavra de Deus. E então, o Senhor falou ao meu coração: Seja grato a seus irmãos, a sua igreja! Sim, pois sem eles nunca chegaríamos aquele lugar. Missões, como sempre dizemos, se faz: Indo, Contribuindo e Orando. Porém, confesso que eu não havia atentado para o fato de que sem estas três coisas o trabalho não poderia ocorrer. Não há missionários, se não houver uma igreja missionária. Não será possível ir, se não houver quem contribua e não será possível estar lá, se não houver quem ore. Ao nos aventurarmos em lugares onde o inferno dominava nos tornamos alvos do inimigo, e ai de nós se não estivermos sobre a cobertura espiritual e a vontade do Senhor. Por outro lado, quando fazemos tudo conforme a direção do Pai, sempre prostrados aos pés de Cristo, vemos a glória manifesta pelo Espírito Santo de Deus.
Felizmente tive a oportunidade de dizer isso de púlpito para a minha amada igreja, mas reforço aqui neste singelo texto, pois creio que assim como eu, há muitos outros missionários por aí que serão alcançados por este mesmo sentimento e na medida que forem tocados e tiverem oportunidade, sei que expressarão esta gratidão para com os irmãos.
Obrigado Igreja que vai! Obrigado Igreja que investe na obra missionária! Obrigado Igreja que ora por seus missionários! Que nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo possa recompensá-los em amor e graça.

Ney Bellas


Postagens mais visitadas deste blog

Papo de Crente: “Morar junto”, sem se casar, é pecado?

Bem, para responder a esta pergunta, de cara gostaria de dizer que não sou muito de ficar apontando para isso ou para aquilo e dizendo se é pecado, ou não. Afinal, pecado significa errar o alvo, que por sua vez representa a pessoa de JESUS CRISTO. Logo, tudo que fazemos que nos afasta dEle é pecado. Certo? Mas, a pergunta acima tem sido recorrente entre vários jovens e por isso optei por este texto. Vamos entender uma coisa, “morar junto” não é o mesmo que estar casado, assim como “ficar” não é namorar e namorar anos sem compromisso não é “noivar”.  Outra coisa é que esse papo de “morar junto” nada mais é do que um jeitinho de se ter relações sexuais, dentro do socialmente correto. Que fique claro que seguir a Cristo é uma coisa simples, mas que sempre envolve decisões difíceis. Entenda isso como a “porta estreita” da qual Jesus nos alertou. Sexo antes do casamento é FORNICAÇÃO! Não entendeu? Eu explico: “Fornicação é o ato ou efeito de fornicar. Ter relações sexuais por puro prazer, p…

A CABANA e os FALSOS MESTRES

Enquanto escrevo estas linhas milhares de pessoas estão lotando salas de cinema em vários países e até mesmo no Brasil, para assistirem o Filme: A Cabana.  Dirigido por Stuart Hazeldine e adaptado do livro homônimo de 2007, escrito por William Paul Young, canadense, filho de missionários cristãos, teólogo formado em Religião no estado do Oregon, nos Estados Unidos. E, para mim, um dos FALSOS MESTRES de nosso tempo.    Pois bem, este texto, assim como habitualmente o faço é fruto de uma conversa com um amigo que assistiu o referido filme, gostou, o recomendou a outros e me disse que soube reter o que era bom e descartar o que não valia a pena. Acredito e glorifico a Deus por tê-lo capacitado a ter esse nível de discernimento, contudo tenho o coração aflito, tanto pelo zelo que tenho a palavra de Deus, quanto pelas vidas que podem vir a se perder diante do engodo de uma estória emocionante.    Segundo a sinopse oficial do filme a trama apresenta "um homem atormentado após perder a su…

Mães de joelho, filhos de pé

Desperta Débora
“Orando por nossos filhos”.
“Desperta Débora é um movimento de oração cujo alvo é despertar mães comprometidas a orar 15 minutos por dia, para que Deus opere um despertamento espiritual sem precedentes na história da juventude brasileira”.

O Desperta, Débora nasceu no coração do reverendo Jeremias Pereira durante a Consulta Global sobre Evangelização Mundial (GCOWE 95), promovido em maio daquele ano em Seul, Coréia. Nesse encontro, a Igreja coreana consagrou cem mil jovens de diversas denominações para a obra missionária. “Era um dia chuvoso e frio, e num daqueles momentos de clamor uma jovem perto de mim estava com a testa no chão. Em oração, ela se oferecia como mártir para que ao menos uma pessoa da Coréia do Norte entregasse sua vida a Cristo. Ao ouvir aquilo chorei como um menino e desejei que algo semelhante acontecesse no Brasil”, lembra Pereira, pastor da Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte.
Ainda em Seul, ele procurou o pastor Marcelo Gualberto e juntos …